Queimadas no Pantanal

Entenda as consequências a longo prazo, e duas formas práticas de fazer a sua parte.

Há mais de cem dias sob intensas queimadas, o Pantanal mato-grossense encontra-se em perigo.


Até o presente momento, estima-se que mais de 20% de toda a sua biodiversidade tenha sido perdida - e, de acordo com os pesquisadores, as consequências para sua fauna e flora devem percorrer pelo menos os próximos cinco anos.


Segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), as queimadas na região do Pantanal brasileiro aumentaram 210% em 2020, quando comparado ao mesmo período em 2019.


De janeiro a setembro de 2019, foram registrados 4.660 focos de incêndio; em 2020, o número subiu para 14.489 focos de incêndio.


Quem serão os principais afetados e quais serão as consequências?

Com o enorme impacto das queimadas na fauna e na flora da região, os animais e as plantas são os primeiros a serem profundamente afetados pela situação.


De início, com a enorme quantidade de animais mortos pelo fogo, há um risco real de extinção de diversas espécies - especialmente aquelas que já estavam em risco antes das queimadas.


Para além disso, podemos esperar por profundas mudanças nos padrões de comportamento dos animais, assim como mudanças nas migrações geográficas e na estrutura alimentar do ecossistema.

“O tamanduá-bandeira é um exemplo que está em extinção. Ele é muito lento, tem densa pelagem e é muito suscetível ao fogo. Ele ainda se alimenta de formigas, que ficam no solo. Se o solo pega fogo, do que ele vai se alimentar e como ele vai sobreviver, sem a habilidade de locomoção?”, explicou uma pesquisadora para um portal de notícias.

Com relação às plantas, além do impacto geral que a área devastada causará no clima da região, os pesquisadores explicam que várias espécies podem deixar de existir por algum tempo - sendo que aquelas que respondem melhor à chegada da chuva, terão mais chances de se restabelecer.

Neste momento, o fogo continua se espalhando pelo Pantanal. Ainda sem conseguirmos mensurar o impacto desta catástrofe, sabemos que suas consequências serão sentidas pelos próximos anos.

Enquanto torcemos pela chegada das chuvas de outubro, que podem amenizar a situação, cabe a cada um de nós ajudar da maneira que puder - com doações de tempo ou dinheiro, ou pelo menos mantendo-se informado sobre os acontecimentos na região!

Abaixo, deixamos duas sugestões para você:

A leitura de uma matéria publicada pela organização Repórter Brasil, que investiga os responsáveis pelo fogo no Pantanal mato-grossense (leia aqui).

E o link para você contribuir para a Fundação Ecotrópica - instituição que trabalha há 31 anos com a preservação da natureza do Pantanal mato-grossense, e no momento está ajudando na contenção dos incêndios e no resgate de animais feridos e afetados pelo fogo (clique aqui).


21 visualizações0 comentário